terça-feira, 15 de janeiro de 2008

Começo do ano...

Começo do ano e todo mundo deseja mudar. Parece virada de bimestre no colégio: vários alunos prometem que estudarão bastante, não conversarão nas aulas, terão mais atenção nas explicações dos professores e ficarão com as matérias em dia. Mas, e na prática? A maioria esquece-se dessas promessas em pouco tempo. Passam-se quinze dias e voltam ao que faziam antes, conversam muito, pouco se importam com as aulas e deixam para, na última hora, dar uma lida na matéria de todo o mês (sem contar as acumuladas dos anteriores...). Mas, para quem deseja passar em concurso público, a mudança deve ocorrer efetivamente, visto que não há recuperação se não passar no concurso. Saídas, choppadas, festas e outras confraternizações devem ser deixadas de lado. Muitos dirão que, de madrugada, não costumam estudar e, por isso, sair não faz mal. Realmente, poucos são aqueles que viram as noites à procura de solucionar possíveis dúvidas existentes, mas é de extrema importância estar com o corpo e a mente descansados. O maior problema não é sair na madrugada, mas perder toda a manhã e parte da tarde descansando da "noitada", ou pior, ficar o dia todo de ressaca. Sair uma ou outra vez não faz mal, desde que os programas sejam lights, nada de ir a uma rave, boates e festas que adentram o dia e terminam quase na hora do almoço. Importante, também, é não acumular matérias. O volume de informações necessário para o candidato é muito alto. Caso o candidato deixe algum estudo para depois, é capaz de não dar tempo de estudá-lo proveitosamente ou "pulá-lo" para poder acompanhar outros assuntos que são importantes. Mas, o que considero de suma importância para quem deseja o êxito é a disciplina. Aquele que possui um método eficaz e organizado já tem uma boa vantagem sobre os que estudam a esmo. Estudar contando as horas não ajuda. Em cursos é comum ouvir um colega de turma afirmar que ficou 6 horas sentando e resolvendo exercícios de matemática. Mas, será que ele, realmente, aprendeu ou só os fez para falar que estudou muito? Organize-se, parta da teoria e, depois, exercícios mais básicos para a retirada das dúvidas simples e, aos poucos, passe para aqueles desafios ou livros mais aprofundados. Às vezes, um exercício aprofundado pode contemplar todas as 6 horas de estudo daquele seu amigo, visto que compreendeu desde o mais básico até o mais difícil (em matemática é comum ocorrer isso, um problema com vários desdobramentos). Não guarde dúvidas. Todo mundo irá te sacanear e chamar de burro por não ter feito ou entendido o mais básico de tudo? Problema deles. Se não entendeu, pergunte ao professor (caso faça curso) ou procure alguém que possa te ajudar. O que para alguém pode ser muito fácil, beirando ao ridículo, pode ser super difícil para você e, nem por isso, o outro é mais inteligente ou melhor. Ninguém é tão sábio que não possa aprender nem tão burro que não possa ensinar.

Um comentário:

Greg disse...

Parabéns pelo blog.
Muito bom
valeu